Seja bem vindo!

"As histórias são um 'Abre-te Sésamo' para o imaginário, onde a realidade e a fantasia se sobrepõem."
(Vania Dohme)

Espero que gostem deste espaço e que possamos trocar figurinhas de montão!

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Novas aventuras pelo Paraná

Olá, queridos!
Ando meio sumida, com muitos afazeres.
Minha próxima aventura será em Wenceslau Braz, no dia 19 de novembro, no Seminaŕio de Educação Infantil e vou levar para as professoras de lá uma porção de histórias e muita coisa legal pra confeccionar para os pequenos.
Até breve!

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Adoro cupcakes!

Esta é uma delícia que eu adoro!
Gosto de fazer com as crianças, porque cada um decora o seu, do jeito que quiser.
E também são uma delícia para os olhos. Espero que gostem.
BoniFrati - O Livro Do Cupcake

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Um conto de MORTE MORRIDA

                                                            A MORTE E O CAÇADOR


Há muito tempo, quando os bichos falavam e o que era perto era longe, mas o que era longe era perto, um caçador botou uma armadilha atrás de um cemitério, pra pegar um tatu esperto, que já tinha fugido dos seus sete cachorros de caça e de sete tiros de espingarda.
Por seis noites o caçador esperou o tatu, mas nada do bicho cair na armadilha. Foi aí, que na sétima noite o caçador já aborrecido com a armadilha, viu no escuro, alguém alto e magro, com roupas pretas, se aproximar.
_Vai pisar na armadilha_ pensou o homem.
E ouviu o grito do sujeito, que tinha ficado pendurado pela perna, balançando no ar.
_Bem feito!_disse baixinho o caçador, com um risinho maldoso.
E só de raiva, deixou o coitado por meia hora pendurado lá.
Mas quando foi soltar o tal sujeito de preto, o caçador levou o maior susto da sua vida! De perto ele viu que era um esqueleto, feito de ossos puros, que brilhavam na luz da lua.
Com uma voz assustadora o esqueleto disse:
_Me tire daqui!
E o caçador, que já estava duro de medo, disse:
_Quequequem é você?
_Alguém que tem um encontro marcado com você à meia-noite._disse ele_E ande logo, porque seu tempo está se esgotando.
_O senhor se enganou._respondeu o caçador_Meu encontro é com um tatu. E o senhor, quem é?
_Eu sou a MORTE!
_Ah, é?! Então o senhor vai ficar aí esperneando pra sempre.
A Morte ficou quieta, pensou, pensou e falou:
_Eu faço um trato. Me tira daqui e eu realizo um pedido seu.
_Trato feito! Meu pedido é esse: não quero morrer.
_ Isso eu não posso fazer._disse a Morte_Não sou eu quem escolhe quem vai e quem fica.
_Então, boa noite. Passe bem.
E já ia saindo dali quando a Morte propôs:
_Não te levo hoje e marcamos outro encontro.
_150 anos, é o que eu quero.
_É muito. Cem anos.
_É pouco. 120 e não se fala mais nisso.
_Tudo bem. 120. Fechado.
_E não quero ficar doente, nem enrugado.
_Certo. Agora me tira daqui, logo. Preciso trabalhar.
E o caçador tirou a morte do laço. A Morte arrumou a roupa, puxou o capuz sobre a caveira e juntou sua gadanha, que tinha caído longe. Pulou o muro do cemitério e sumiu.
Desse dia em diante, o caçador viveu novo, sem rugas nem cabelo branco. Todo mundo perguntava a ele o segredo da sua juventude, mas ele não respondia, só dava um sorrisinho e nada mais.
Os anos passaram rápido pra ele. E numa caderneta anotava cada ano que passava, até que chegou o último. Aí, começou a anotar os dias. No último dia, o caçador estava com dores de barriga, de tanto medo e pensava por que não tinha pedido mais tempo e feito um acordo melhor.
Foi aí que ele decidiu que ia enganar a Morte. Foi pro banheiro e fez a barba, depois raspou todo o seu cabelo e raspou também as sobrancelhas. Ficou muito estranho, vocês precisavam ver...
Se arrumou todo e foi para um baile.
A Morte já procurava por ele desde o começo da noite. Procurou por toda a cidade até que foi ao salão de baile. Olhou pra tudo que foi lado, perguntou, procurou, mas ninguém tinha visto o rapaz. Por fim acabou chegando perto dele e falou:
_Você, dançarino animado, não viu o caçador?
_Não_disse ele, disfarçando a voz.
_É um sujeito da sua altura, com cabelos pretos, e uma pintinha assim na bochecha, exatamente como essa aí_e a Morte espetou o rapaz com a gadanha.
_Vire esse troço pra lá! Já disse que não vi caçador nenhum!
A Morte ficou quieta, pensou e disse:
_Bom, já que não encontro o caçador, vou levar você mesmo, carequinha.
_Isso não é justo!_gritou o rapaz.
_Pensou que me enganava? Eu nunca me atraso pra um encontro.
E o que se ouviu foi o relógio do salão de baile bater meia-noite...


                                     Adaptada por Minina Arteira, dos Contos de Morte Morrida, de Ernani Ssó

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Poesia

Uma estrela dorminhoca
dorme e ronca a noite inteira.

Que estrela de doideira,
que estrela preguiçosa!

Todas, todas as estrelas
dormem só durante o dia.

De noite, elas acordam,
sacodem as cabeleiras
feitas só de diamantes.

Mas a tal da dormideira
ronca, ronca numa nuvem
debaixo do seu lençol.

Acorda de madrugada,
esfrega os olhos, rosada,
dormiu a noite inteirinha.

Depois fica amarelada,
levanta, toda assanhada,
dourada Estrela Sol!

(Sylvia Orthof.
 A poesia é uma pulga. São Paulo, Atual, 1992.)


quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Conto: A PEQUENA MADAME E O PORQUINHO

A Pequena Madame e o Porquinho :

Era uma vez uma pequena madame que tinha um porquinho. Certa vez ela quis ir a um casamento, e disse ao porquinho:
-Porquinho, hoje você ficará em casa, pois quero ir ao casamento.
O porquinho ficou zangado e disse:
- Não, não, não ! Eu também quero ir !
Então a Pequena Madame foi falar com o cachorrinho:
-"Cachorrinho morda o porquinho, pois o porquinho não quer ficar em casa e eu quero ir ao casamento."
E o cachorrinho respondeu:
-"O porquinho não me fez nada...eu não lhe farei nada também !"
A Pequena Madame então foi falar com o pau:
-" Pau bata no cachorrinho pois ele não quer morder o porquinho que não quer ficar em casa e eu quero ir ao casamento."
O Pau então respondeu:
-"O cachorrinho não me fez nada...eu não lhe farei nada também !"
Então a Pequena Madame foi falar com o fogo:
-"Fogo queime o pau pois ele não quer bater no porquinho, que não quer ficar em casa , e eu quero ir ao casamento."
Disse então o Fogo:
-"O Pau não me fez nada...eu não lhe farei nada também !"
E assim a Pequena Madame foi falar com a água:
-"Água apague o fogo que não quer queimar o pau, que não quer bater no cachorrinho,que não quer morder o porquinho,que não quer ficar em casa, e eu quero ir ao casamento."
A água lhe respondeu:
-"O fogo não me fez nada...eu não lhe farei nada também !"
A Pequena Madame então resolveu falar com o boi:
-"Boi beba a água que não quer apagar o fogo, que não quer queimar o pau, que não quer bater no cachorrinho, que não quer morder o porquinho, que não quer ficar em casa, e eu quero ir ao casamento."
O boi lhe respondeu:
"- A água não me fez nada...eu não lhe farei nada também !"
A Pequena Madame então foi falar com o açouqueiro:
"- Açougueiro mate o boi que não quer beber a água, que não quer apagar o fogo, que não quer queimar o pau, que não quer bater no cachorrinho, que não quer morder o porquinho,que não quer ficar em casa, e eu quero ir ao casamento."
O açougueiro respondeu:
"- Certo,irei matar o boi !"
O boi ouvindo aquilo, disse:
"- Oh ! Querem me matar !?! É melhor eu tomar a água...
A água ouvindo aquilo, disse:
"- Oh! Querem me tomar !?!É melhor eu apagar o fogo...
O fogo ouvindo aquilo, disse:
"-Oh ! Querem me apagar !?! É melhor eu queimar o pau...
O pau ouvindo aquilo, disse:
"-Oh ! Querem me queimar !?! É melhor eu bater no cachorrinho...
O cachorrinho ouvindo aquilo, disse :
"-Oh ! Querem me bater !?! É melhor eu morder o porquinho...
O porquinho ouvindo aquilo, disse
"- Oh! Querem me morder !?! É melhor eu ficar em casa !"
E assim a Pequena Madame pode ir ao casamento.

Seminário Nacional de Educação

 O QUE É O SEMINÁRIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E O FÓRUM INTERMUNCIPAL DE EDUCAÇÃO INTEGRAL?
O Seminário Nacional de Educação, elaborado pela SEDESHU – Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano da Prefeitura Municipal de Apucarana entra em sua nona versão, já se consolidando como um marco na Educação não só em nível estadual como nacional.

O Seminário Nacional de Educação Integral de Apucarana e o Fórum Intermunicipal de Educação Integral seguem a seguinte idéia:
“Ninguém nasce feito, ninguém nasce marcado para ser isso ou aquilo. Pelo contrário, nos tornamos isso ou aquilo. Somos programados, mas, para aprender.” Paulo Freire.

Este evento segue a linha do “aprender a aprender”, tratando de aspectos relativos a um dos principais ambientes onde ocorre a aprendizagem: a sala de aula. Nos encontros que serão realizados estarão reunidos dirigentes da educação nacional que discutirão questões como: distúrbios de aprendizagem; relações escolares; a educação para o pensar; educação matemática, contação de histórias; leitura e visão de mundo; musicalização, motivação; brinquedoteca; gestão escolar, entre outros.

Este Seminário responde ao projeto de formação continuada dos docentes e está pautado nos objetivos da SEDESHU sendo que a sua organização volta-se para a criação de uma cultura ao Ensino Integral.

OBJETIVOS:
·         Geral

o       Responder ao programa de formação continuada de professores da Rede Municipal De Ensino de Apucarana, propiciando oportunidades de formação coletiva e integração com membros diretamente envolvidos com a educação no Brasil.

·         Específicos
o       Estimular a adoção de uma postura reflexiva acerca das responsabilidades do profissional do ensino;
o       Promover a compreensão e entendimento referente às normas, responsabilidades e processos relacionados ao profissional do ensino;
o       Oportunizar formas de atualização e aperfeiçoamento dos profissionais da educação;
o       Levar o aprimoramento técnico, científico e cultural aos profissionais do ensino;
o       Apresentar tendências e novos conceitos pertinentes à atualização acerca da educação;
o       Demonstrar a importância do educador como agente de transformação de uma sociedade;
o       Criar um espaço para a troca de experiências profissionais;
o       Criar um espaço para debates para os profissionais do ensino;
o       Promover a integração entre profissionais locais com profissionais de diferentes regiões do estado e do país;
o       Transformar o evento em um elo entre a comunidade acadêmica e sociedade civil.

PÚBLICO ALVO:
Secretários Municipais, Diretores, Coordenadores, Professores e Funcionários do Ensino Fundamental e Médio, Acadêmicos, Alunos de Magistério e demais interessados em analisar e discutir os temas propostos nas palestras e oficinas.




PROGRAMAÇÃO: TURNOS E HORÁRIOS

ABERTURA OFICIAL do IX SEMINÁRIO E III FÓRUM – Dia  20/09/10
Credenciamento – das 18h30 às 19h30
Cerimonial de abertura – das 19h30 às 22h

PALESTRAS
Palestra de abertura – Dia 21/09/2010 – Das 19h às 22h – Anfiteatro FECEA

Tema: "Educar é um exercício mágico"

Palestrante: LILO DORNELES
Atua com grande experiência no setor educacional. Desenvolveu diversos métodos para alcançar o público adulto e infantil objetivamente, convertendo necessidades em soluções e amadurecimento onde havia dúvidas. O professor Lilo tem procurado trazer um novo tipo de linguagem ao se relacionar com as mais diversificadas mentes. Ele propõe e defende uma Educação Mais Humana, Transformadora e Afetiva.


Palestra de encerramento – Dia 23/09/2010 – Das 19h às 22h – Anfiteatro FECEA

Tema: A organização da escola respeitando os tempos de formação  dos educandos.

Palestrante: MIGUEL GONZALES ARROYO
Pós-Doutorado Universidad Complutense de Madrid, U.C.M., Espanha. Doutorado em Phd Em Educação. Stanford University, SU, Estados Unidos. Mestrado em Ciência Política. Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG Graduação em Ciências Sociais. Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG Professor Emérito, Faculdade de Educação da UFMG. Autor de vários livros: Por uma educação do campo. 1. ed. Petrópolis: Vozes, 2004; Imagens quebradas: trajetórias e tempos de alunos e mestres. 1. ed. Petrópolis: Vozes, 2004; Ofício de mestre: imagens e auto-imagens. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 251; Autor do Projeto Escola de Ciclos.  Ex-Secretario da Educação de Belo Horizonte.


III FÓRUM INTERMUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INTEGRAL
21/09/2010
Programa: Palestras interativas com municípios visitantes
- Prof. Dr. Oscar Alves (palestrante) /  Prof. Arnaldo Vicente (mediador)
TEMA: "Políticas Nacionais de Implementação de Educação Integral no Brasil"
- Profª. Yvelise Arco-Verde (palestrante) / Profª. Verônica Branco (mediadora)
TEMA: "Educação Integral"
- Dr. Romeu Gomes de Miranda (palestrante) / Prof. Edmilson Lenardão (mediador)
TEMA: "Educação Integral e a Formação de Professores"
- Prof. Me. Cláudio Silva (palestrante) / Prof. José Reinaldo Antunes Carneiro (mediador) (CEE)
TEMA: "Educação Integral e Integrada"

O Fórum Intermunicipal de Educação Integral consiste na troca de experiências em Educação Integral. O público-alvo é formado por gestores escolares, coordenadores, secretários de educação, prefeitos, assessores pedagógicos, instituições de ensino superior e pessoas interessadas.

Vários municípios foram convidados para articulações e discussões acerca de experiências inovadoras.





OFICINAS (Maiores detalhes www.apucarana.pr.gov.br/seminário)

Oficina 1 – Dia 22 e 23/09/2010 – Das 8h às 17h – SALA: 01
Tema: CONTANDO HISTÓRIAS – SEGREDOS DO ENCANTAMENTO
Oficineiro: Profª Carla Fonseca Ferreira

Oficina 2 – Dia 22 e 23/09/2010 – Das 8h às 17h – SALA: 02
Tema: GÊNEROS TEXTUAIS: UMA PROPOSTA DE TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA PARA O ENSINO DE LITERATURA E PRODUÇÃO TEXTUAL
Oficineiro: Prof° Me. Fernando Pinheiro

Oficina 3 – Dia 22 e 23/09/2010– Das 8h às 17h – SALA: 03
Tema: MÚLTIPLAS LEITURAS
Oficineiro: Profª Dra. Lucinéia Aparecida de Rezende

Oficina 4 – Dia 22 e 23/09/2010 – Das 8h às 17h – SALA: 04
Tema: AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA E INTERVENÇÃO DIDÁTICA.
Oficineiro: Profª Dra. Cleide Vitor Mussini

Oficina 5 – Dia 22 e 23/09/2010 – Das 8h às 17h – SALA: 05
Tema: JOGOS MATEMÁTICOS
Oficineiro: Profª  Valéria Cristina de Souza Barreto

Oficina 6 – Dia 22 e 23/09/2010 – Das 8h às 17h – SALA: 06
Tema: A MÚSICA COMO INSTRUMENTO PEDAGÓGICO
Oficineiro: Antonio Carlos Silva Moura

Oficina 7 – Dia 22 e 23/09/2010 – Das 8h às 17h – SALA: 07
Tema: EDUCAR PARA O PENSAR: FILOSOFIA COM CRIANÇAS, ADOLESCENTES E JOVENS
Oficineiro: Carlos Alberto Alves

Oficina 8 – Dia 22 e 23/09/2010  – Das 8h às 17h – SALA: 08
Tema: BRINQUEDOTECA A (RE) DESCOBERTA DO BRINCAR
Oficineiro: Beatriz Machado

Oficina 9 – Dia 22 e 23/09/2010 – Das 8h às 17h – SALA: 09
Tema: O CONCEITO DE ATIVIDADE DE ENSINO; ATIVIDADES DE ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA; GEOMETRIA PARA OS ANOS INICIAIS
Oficineiro: Flávio Rodrigo Furlanetto

Oficina 10 – Dia 22 e 23/09/2010 – Das 8h às 17h – SALA: 10
Tema: AVALIAÇÃO FORMATIVA: UMA JANELA DE POSSIBILIDADES
Oficineiro: Nádia Aparecida de Souza

Oficina 11 – Dia 22 e 23/09/2010 – Das 8h às 17h – SALA: 11
Tema: GESTÃO DEMOCRÁTICA: CONSTRUINDO O TRABALHO ESCOLAR
Oficineiro: Cássia Marilda Pereira dos Santos Ferreira

Oficina 12 – Dia 22 e 23/09/2010 – Das 8h às 17h – SALA: 12
Tema: PRÁTICAS DOCENTES NAS PERSPECTIVAS DA INCLUSÃO
Oficineiro: Elizabete Humai de Toledo

Oficina 13 – Dia 22 e 23/09/2010– Das 14h às 18h – SALA: 13
Tema: AGIR SOBRE O MUNDO E DIZER O MUNDO: O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INTEGRAL   /    Oficineiro: Claudia Lopes Pontara

Oficina 14 – Dia 22 e 23/09/2010 – Das 14h às 18h – SALA: 14
Tema: FAZER E ACONTECER COM E.V.A. É BOM DEMAIS
Oficineiro: Simone França

Oficina 15 – Dia 22 e 23/09/2010 – Das 14h às 18h – SALA: 15
Tema: MEIO AMBIENTE DE SUSTENTABILIDADE
Oficineiro: Ana Paula Fenato

CONFRATERNIZAÇÃO / EVENTO CULTURAL
Jantar Dançante – Dia 22/09/2010 – Das 20h às 04h
Por adesão

INVESTIMENTO

SEMINÁRIO
Professores da Rede Municipal de Ensino de Apucarana
Professores
de outras Instituições
de Ensino e Acadêmicos
Pacote de mais de 06 Pessoas de outras Instituições de Ensino
Eventos Isolados (uma palestra, uma oficina ou Fórum)
RS 70,00
R$ 120,00
R$ 70,00
(por pessoa)
R$ 40,00

CONFRATERNIZAÇÃO JANTAR POR ADESÃO (CONVITE INDIVIDUAL)
Professores da Rede Municipal de Ensino de Apucarana
Professores de outras Instituições
de Ensino e Acadêmicos
Pacote de mais de 06 (seis) Pessoas de outras Instituições  de Ensino
Eventos Isolados (uma palestra ou uma oficina)
RS 20,00
R$ 20,00
R$ 20,00
R$ 20,00




LOCAL DO EVENTO
FECEA – Faculdade Estadual de Ciências Econômicas de Apucarana
Av. Minas Gerais nº. 5021, Fone/Fax: (43) 3423-7277 - CXP: 98 - CEP: 86800-970. Apucarana - Paraná.

HOSPEDAGEM E ALIMENTAÇÃO
Hotel Apucarana Palace - Av. Curitiba, 1799 – Centro                       (43)3422-2011
Hotel Lago das Pedras - Rod BR 369, s/n Km 197 Prq I Z Norte        (43) 3426-7575
Hotel Doral – Rua Osório Ribas de Paula 90 – Centro                          (43) 3033-4343
Hotel Royalle – Rua Rio Branco 519 – Centro                                           (43) 3423-0760
Refeições: No início do evento será entregue relação com endereço de restaurantes com seus respectivos cardápios.

INSCRIÇÃO
A ficha de inscrição está disponível no Site: www.apucarana.pr.gov.br/seminário

INFORMAÇÕES
Informações complementares sobre o evento estarão disponíveis nos endereços:  suelic@apucarana.pr.gov.br  Telefone: 0xx43 – 3423-1954 – Ramal 34

A INSCRIÇÃO INCLUI
Participação Seminário – Pasta – Bloco – Caneta – Crachá - Certificado

CARGA HORÁRIA
Participação apenas em uma palestra: 04 horas
Participação por oficina: 08 horas
Participação no Fórum: 8 horas
Participação no Seminário: 28 horas
Participação no Fórum e no Seminário: 36 horas


CERTIFICADOS REGISTRADOS
Os certificados serão expedidos e registrados pela FACED – Faculdade Apucarana Cidade Educação somente aos participantes com o mínimo de 80% de frequência.

INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS À INSCRIÇÃO
DADOS PESSOAIS

NOME:
ENDEREÇO RESIDENCIAL:
ENDEREÇO COMERCIAL:
CIDADE:                                                                                                                                                       CEP:
ENDEREÇO ELETRÔNICO:
TELEFONE RESIDENCIAL:
TELEFONE CELULAR:
TELEFONE COMERCIAL:
INSTITUIÇÃO (ESCOLA) QUE TRABALHA:
CARGO:

INSCRIÇÃO PARA OFICINAS

DIA
OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: NÃO SERÁ PERMITIDA, EM HIPÓTESE ALGUMA, A TROCA DE OFICINA APÓS A INSCRIÇÃO, HAJA VISTA A LIMITAÇÃO DE VAGAS.
(Uma vez completadas as vagas o sistema bloqueia automaticamente a inscrição para aquela oficina).

APUCARANA – CIDADE EDUCAÇÃO INTEGRAL


PROMOÇÃO: FACE – FUNDAÇÃO APUCARANA CIDADE EDUCAÇÃO

quarta-feira, 11 de agosto de 2010




Conto de Domingos Pellegrini: NO DIA EM QUE DEUS CRIOU AS FRUTAS

Minina Arteira contando histórias no Shopping Iguatemi, em São Carlos (São Paulo).
Serão três apresentações ao todo: 08/08, 19/09 e 03/10.

segunda-feira, 10 de maio de 2010




















Feira do Livro 2010 no CAIC de Apucarana
Muita história contada, cantada, encenada, saboreada...
Hora do Conto com as meninas da Nutrição
Adorei cantar e contar com vocês, meninas!
Muita história pra contar...

Oficina de Contos

Olha a animação delas...

Oficina de Contos

Oficina na Escola Municipal Durval Pinto
Março/2010

quarta-feira, 28 de abril de 2010

A Bonequinha Preta

Era uma vez uma bonequinha preta, que morava em uma linda casa com Mariazinha. As duas brincavam o tempo todo, e até dormiam juntas quando estavam cansadas.
Todos os outros brinquedos dormiam em outros lugares, pois Mariazinha queria sempre a sua amiguinha, bonequinha preta junto.
Mas, o que ela não sabia, era que as bonequinhas não dormem como as meninas, aquele tempo todo, sem ver o mundo aqui fora. Eram diferentes das meninas e meninos de verdade em muitas coisas.Mesmo assim Mariazinha, ensinava à sua bonequinha preferida tudo o que aprendia com a mamãe: tomar banho, escovar os dentes, trocar roupas limpas, e tudo mais.
Naquele dia, quando foi dormir um pouquinho depois do almoço, explicou direitinho à bonequinha preta que ela não deveria subir sozinha na janela:
- A janela é muito perigosa! A criança pode cair lá fora e nunca mais voltar para casa. Papai disse que precisa ter gente grande perto sempre que a gente quiser ir à janela.
Mariazinha viu que a bonequina entendeu tudo muito bem, como sempre. Então dormiu sossegada...
A bonequinha preta também começou a dormir mas, ... uma voz diferente, forte e interessante entrava pela janela trazendo uma novidade que ela não conhecia:
- Verdureiro, verdureiro!
O que será isso, pensou a bonequinha. Mariazinha , que sempre sabia tudo, estava dormindo e não podia contar nada sobre verdureiros, que deviam ser seres novos e sensacionais! Ela precisava ver!Talvez seja isto: um cara todo verde!Ou quem sabe isto: alguém saindo assim do verde.Também podia ser um destes: nunca tinha visto um.
- Verdureiro, verdureiro!
Ir ou não ir só um pouquinho na janela? A dúvida passou rapidinho e logo ela já estava lá, tentando olhar tudo. Ela não queria cair, mas estava difícil ver. Subiu só mais um tantinho e... tibum!caiu lá embaixo!Por sorte, o verdureiro estava passando bem na hora, ela caiu em cima das verduras fofinhas de seu grande cesto. Ela era tão levinha que ele nem percebeu e continuou andando pelas calçadas com seu canto:
- Verdureiro, verdureiro!
Passou por várias ruas onde a bonequinha preta nunca tinha ido, cada vez mais longe...
Então o verdureiro decidiu voltar para casa, pois já era tarde. Entrou pela garagem escura, sem ver a bonequinha assustada que estava ali. E subiu as escadas para chegar em casa, largando o cesto no chão.A bonequinha preta começou a chorar, de tanto medo que estava daquele lugar estranho e escuro. Cair da janela assim tinha sido uma grande besteira, e Mariazinha não ia gostar nada de ter sido desobedecida. Então chorou e chorou mais ainda, sem nenhum consolo...Nenhum?
Um gatinho que ia passando por ali ouviu aquele choro tão doído e ficou com muita pena da Bonequinha Preta. Tentou fazer gracinhas para ela sorrir, mas não deu certo.
- Então, o que posso fazer por você?
- Não sei, eu fui olhar só um pouquinho na janela, sem Mariazinha saber. Ela disse para eu não ir sozinha, e agora perdi minha linda casa!
- Talvez eu possa ajudar. Os gatos passeiam pela noite, e se você me contar como é sua casa, talvez eu a encontre.
- É uma linda casa branca, com janelas azuis, e uma menininha dentro, que deve estar muito triste agora.
E assim, o gato saiu pelas ruas à noite, procurando a casa certa. Procurou, procurou e...Encontrou aquela linda casa branca, com janelas azuis, e uma linda menininha que chorava muito.
-Vamos lá buscar sua bonequinha preta que caiu no cesto do verdureiro!
E lá foram os dois.
Quando chegaram, foi aquele abraço! Toda a choradeira passou e as duas se prometeram nunca mais se separar. Voltaram juntas para casa mas, na hora de se despedir do gato, ficaram com tanta pena, que o convidaram a morar com elas na linda casa . Ele gostou muito da idéia.
Assim, a história acaba com todos felizes, merecendo no fim um ponto de alegria bem grande!
FIM

Em breve vou postar fotos da Feira do Livro que tivemos na nossa escola. Este conto foi um dos preferidos pela criançada e minhas amigas Meibel e Rosa Caruzo fizeram um GRANDE trabalho com as crianças supertalentosas do 2° ano do 2° ciclo. Aguardem...